terça-feira, 17 de outubro de 2017

2018

Tão bem de bem se traveste o mal, que o de amor amém a tanto é total.

Gugu Keller

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

O Fascismo É Fascinante...

Defendem a censura aqueles a quem opinar não basta. Há também que não haver quem divirja.

Gugu Keller

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Homofobia & Cia

Quanto mais são as certezas dementes, maior é o ódio contra o que as desmente.

Gugu Keller

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

terça-feira, 10 de outubro de 2017

domingo, 8 de outubro de 2017

Censores Sem Sensores

Em regra burro e prepotente, afirma o fascista não ser arte a que por óbvio não entende.

Gugu Keller

sábado, 7 de outubro de 2017

Real Change

Às vezes a mudança necessária é não mais crer que é necessária uma mudança.

Gugu Keller

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

"Melissa Bem Gostosa"

Amanhã, sexta-feira, dia 6, estréia no Teatro Jardim Sul, no Shopping Jardim Sul, aqui em São Paulo, a comédia de minha autoria intitulada "Melissa Bem Gostosa". Trata-se de um monólogo. Melissa é um travesti que é a personagem principal da minha também comédia "A Banheira", que esteve em cartaz nos últimos dois anos e pouco. Tendo sido uma personagem de grande sucesso e carisma, surgiu a idéia de se fazer o monólogo. A interpretação é do maravilhoso Du Kammargo. Convidamos todos a vir nos prestigiar.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Light Minds

Dispensa, não compensa, o em que pensas que te pesa. E apensa-te ao não penso de um pensar sem preço ou pressa.

Gugu Keller

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Las Vegas 17

Ao lado de "Dear Prudence" e "Julia", "Happinnes Is A Warm Gun", creio, é uma das melhores canções de John Lennon no famosíssimo Álbum Branco dos Beatles, de 1968. Para quem não sabe, ela foi inspirada numa propaganda de uma determinada arma que ele leu numa revista ou jornal, cujo slogan era justamente o de que a felicidade estava em se ter uma arma daquele modelo quente na mão, ou seja, tendo com ela acabado de atirar. Chocado com aquilo, John compôs a canção meio que para o ironizar. Quase 50 anos passados, é bem atual, não? Ah... Ironicamente, como todos sabemos, John Lennon, assim como os tantos no atentado de ontem, foi morto a tiros.
 
Gugu Keller

sábado, 30 de setembro de 2017

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Nós Nus

Se, mesmo sem emitir qualquer gesto a tanto relativo, ou, muito menos, estar envolvido em qualquer prática sexual, a mera nudez de um corpo humano é, como vorazmente vociferam os tão indignados críticos da exposição no MAM aqui de São Paulo, por si só capaz de erotizar uma mente infantil para tanto não suficientemente madura, as crianças deveriam ser terminantemente proibidas de freqüentar vestiários em clubes, colégios ou academias.
 
Gugu Keller 

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Causas Próprias

Ser político no Brasil é lucrativamente advogar por interesses econômicos escusos.

Gugu Keller

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Apologia

Então, pelo que eu entendi, segundo os tão indignados críticos da exposição em Porto Alegre, se uma obra de arte retrata uma situação em que um crime está sendo cometido, ela dele está fazendo apologia...? É isso, não? Bom... Fico aqui então abismado ao pensar, caso eles estejam certos, na incomensurável quantidade de não apenas quadros e esculturas, mas de livros, filmes, peças, novelas etc em que isso acontece ou aconteceu...! Já pararam para pensar? Quantos e quantos homicídios, por exemplo, já não foram retratados por obras de arte através dos séculos?!? Quantos e quantos crimes, por exemplo, em grandes clássicos da literatura?!? Em "Lolita", de Nabokov, por exemplo, temos então apologia ao estupro de vulneráveis...! Em "O Estrangeiro", de Albert Camus, apologia ao homicídio...! Em 1984, de George Orwell, à tortura...! E quantos homicídios em "O Nome da Rosa"? Apologia pura então!?! E o que dizer das nossas tão populares telenovelas? Quanta apologia deslavada! Apologia ao homicídio, ao latrocínio, às lesões corporais, às vias de fato, ao roubo, à extorsão, à corrupção, ao rufianismo etc...! Aliás, não posso deixar de comentar sobre duas das atuais novelas da rede Globo, a das sete e a das nove, as quais, se não me engano, fazem, respectivamente, apologia do crime de furto, já que a história se dá em torno da subtração de milhões de dólares do cofre de um hotel de luxo, e do tráfico de drogas, com o qual, pelo pouco que acompanho, a personagem da atriz Juliana Paes parece estar envolvida até o pescoço, não é mesmo? Então, pela linha de raciocínio empregada com relação à exposição, é tudo apologia ao crime!!! E ainda no horário nobre da televisão, veículo que entra na casa de todos!!! Uma apologia ao crime covarde e absurda!!! E sobre filmes, será que vale a pena citar alguns...? Acho que não... É tanta, mas tanta, mas tanta apologia ao crime, que eu simplesmente nem sei por onde começar... Ah! Desculpem! De repente me lembrei da cena do estupro no livro "Capitães da Areia", de Jorge Amado...! Que horror, não? Apologia ao estupro! Que coisa terrível! Abominável! Devem decerto tê-lo processado e preso, imagino, além de proibido o livro... Ahhh! E aquele traficante de armas e drogas no filme "Taxi Driver"? Horrrrrorrrrrrr!!! Apologia ao tráfico de armas e drogas numa mesma cena!!! Como pode??? Cadeia para todos já!!! Bem... Não vou me estender muito mais... Vou terminar apenas lembrando a bíblia... Sim, a bíblia! Sim, isso mesmo, a bíblia sagrada! Para quem não sabe, ela também é pródiga em retratar, e portanto disso, se o raciocíno é esse, fazer apologia, homicídios, tortura, injúria, calúnias, difamações, rixas, incestos (vá lá que - ufa - ao menos incesto não é crime) etc... Apologia pura também, não acham? Tudo bem. Os que, de modo diametralmente oposto a mim, crêem que a bíblia é um livro de histórias que de fato aconteceram, e não imaginárias, não arte portanto, dirão que isso faz com que aí não se trate de apologia. Mas aí também fico pensando... Será que isso também não pode haver se dado com alguma das obras expostas em Porto Alegre? Hum?
Ai... Lembrei-me agora da tão a vários e terríveis crimes apologizante mitologia grega... Quantas e quantas obras... Mas, ah... Deixa pra lá...
 
Gugu Keller 

domingo, 24 de setembro de 2017

Etrom

No paradoxo do suicida, uma aposta enlouquecida em afinal alguma vida.

Gugu Keller

sábado, 23 de setembro de 2017

Teogênese

O homem claramente criou deus à sua fiel imagem e semelhança: julgador, vingativo, cruel, vaidoso e, acima de tudo, incoerente e contraditório.

Gugu Keller

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

P/ Vladimir e Estragon

O a trazer algum sentido que, sabemos, não virá, às sextas-feiras parece-nos mais próximo.

Gugu Keller

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Oyster

Em teu pérola pélvico pórtico eu apto aporto. E me pérfuro pêndulo ávido pedra aposso.

Gugu Keller

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Cura Gay

A tão falada, e novamente na ordem do dia, "cura gay", tendo a crer, de fato existe. Sim. Consiste em nada mais do que os homossexuais buscarem a sabedoria, a maturidade e a serenidade plenas para, afinal e em definitivo, vivenciarem sua sexualidade de modo completo e intenso, livres de quaisquer culpas, medos ou vergonhas, sobretudo sem dar ouvidos a toda a baboseira preconceituosa que tanto reverbera por aí, advinda, no mais das vezes, de pretensos líderes religiosos toscos, hipócritas e parasitas do povo humilde. Eis, amigos, a "cura gay".
 
Gugu Keller

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

domingo, 17 de setembro de 2017

sábado, 16 de setembro de 2017

Papel Passado

O instituto do casamento historicamente advém do abarcamento das relações humanas pelo egoístico conceito de propriedade.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Convicto

E eis-me, marasmo meio espasmo sempre a esmo, mais e mais e mais só este eu mesmo.

Gugu Keller

domingo, 10 de setembro de 2017

Matema

Em luto e surto eu luto surdo e em susto assumo
O meu abrupto absurdo absoluto

Gugu Keller

sábado, 9 de setembro de 2017

News

O escárnio desse estado escroque nos na cara qual escarro escorre.

Gugu Keller

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Dias 16

E de água e sal eis-me ardor a mensal dar-te em dor o ocular incolor menstruar deste amor.

Gugu Keller

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Retrato Perfeito

O contraste entre a entrevista dada por Geddel quando participava de uma manifestação contra a corrupção em que diz que "ninguém agüenta mais tanto roubo" e a imagem das malas de dinheiro apreendidas retrata com perfeição a maneira como costuma atuar a classe política no Brasil.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Teste de QI

Se, principalmente os de bancos, cervejas, automóveis e operadoras de telefonia, os comerciais de televisão lhe parecem tão patéticos quanto ofensivos à inteligência, é um bom sinal de que você tem alguma. Já se, deprimentemente, eles, ao contrário, soam-lhe atraentes, ou mesmo sedutores, é um certo de decerto, sinto dizê-lo, nenhuma.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

domingo, 3 de setembro de 2017

sábado, 2 de setembro de 2017

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Absurdos Normais

Se a maior dentre as velocidades máximas permitidas nas estradas brasileiras é de 120 km/h, por que será que se permite a fabricação e a comercialização de veículos que atingem muito além disso?
 
Gugu Keller

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

terça-feira, 29 de agosto de 2017

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

domingo, 27 de agosto de 2017

Luzes da Ribalta

Muito mais do que no dos palcos é difícil atuar, no tragicômico teatro da vida o é a o fazer não se estar. 
 
Gugu Keller

sábado, 26 de agosto de 2017

Gado & Berrante

A lucratividade do setor propagandista mensura com perfeição a nossa burrice coletiva.

Gugu Keller

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

terça-feira, 22 de agosto de 2017

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Distritão?

Em tempos de reformas políticas que, como todos bem sabemos, muito provavelmente "mudarão" o sistema eleitoral para que de algum modo ele seja ainda mais o que já é, permito-me deixar aqui minha opinião relativa àquilo que considero minimamente justo... Em sendo, e para quem não sabe eu o esclareço, o parlamento a instituição onde funciona esta nossa democracia de representação, parece-me que o mais coerente seria que cada parlamentar eleito participasse de cada votação no plenário com o número de votos que obteve do eleitorado. Assim, exemplificando, se deputado se elegeu com 1.000.000 de votos, então o voto dele vale 1.000.000, ao passo que o daquele que se elegeu com 50.000 votos valerá 50.000 e assim por diante. Porque não me parece justo que o voto de dois parlamentares tenham o mesmo peso se um recebeu o dobro, ou o décuplo, ou o cêntuplo de votos que recebeu o outro. De quebra, essa sistema, além de muito mais justo em relação ao eleitorado, que, em tese, há de estar lá representado por aquele a quem elegeu, daria cabo definitivo dessas discussões absurdas acerca de votos para a legenda, em que candidatos que são literalmente rejeitados pela opinião pública acabam se elegendo "de carona" com outros, em regra para tanto escolhidos a dedo, apenas porque são do mesmo partido. Mas é claro que sou realista, de modo que duvido que, mesmo que alguma dessas autoridades envolvidas na questão chegue a ler estas linhas, esta minha idéia tenha uma mínima chance de vingar.
 
Gugu Keller

sábado, 19 de agosto de 2017

"Pra Lá e Pra Cá" no Teatro do Ator

Após alguns meses no Teatro Jardim Sul, minha comédia "Pra Lá e Pra Cá" estréia hoje no Teatro do Ator, na Praça Roosevelt, aqui em São Paulo. No elenco, Du Kammargo, Glaura Lacerda, Luciano Rocha, Marina Possebon & Sergio Barreto. A direção é de Mário Goes. Convidamos todos a vir rir conosco .

Gugu Keller

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Repensando

É claro que o esporte é uma coisa maravilhosa cuja prática, ou mesmo o simples fato de o acompanharmos como entusiastas, proporcionam-nos valiosos benefícios. Contudo, observando um pouco mais detidamente este tão cruel e injusto mundo em que vivemos, fico a me perguntar... Será afinal de fato algo sadio aquele velho lema olímpico segundo o qual "o importante é competir"?
 
Gugu Keller

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Metas

Queridos amigos... Acabo de ter uma idéia que a todos nos permitirá atingir todas as metas que temos na vida! Sim, isso mesmo! E é simples... Basta que, ao estipularmos e passarmos a perseguir nossas metas, façamos como o governo brasileiro faz com relação às suas referentes a gastos públicos, arrecadação, inflação etc, ou seja, conforme o tempo vai passando e ele percebe que não as pode alcançar, ele as muda, de modo que, quando se chega ao fim do prazo estipulado para cada meta, ela sempre estará cumprida, já que foi sistematicamente revista e adequada à realidade, que, como bem sabemos, quase sempre está muito distante do que se pretendia...! Não é maravilhoso?
 
Gugu Keller

domingo, 13 de agosto de 2017

Imposto - Vídeo

Amigos... Postei há algumas horas no Facebook um vídeo cantando minha canção "Imposto", que, mesmo tendo sido escrita há anos, parece, pelo noticiário dos últimos dias, estar mais atual do que nunca. Agradeço a todos que assistirem, curtirem, comentarem (inclusive com eventuais críticas) e me ajudarem a divulgar. Abaixo, a letra...
 
IMPOSTO
 
Dinheiro não há para a saúde
As filas contornam quarteirões
Enquanto banqueiros amiúde
Recebem ajuda de milhões
Estradas repletas de buracos
Barracos na boca do lixão
Discurso voltado para os fracos
E atos notoriamente não
 
Mas você tem que pagar, você tem que pagar imposto
Você tem que pagar, você tem que pagar imposto
Estado de direito, um suicídio em agosto
A bala no seu peito, você tem que pagar imposto
 
Dinheiro não há para a cultura
Carteiras quebradas pelo chão
País do futuro porventura
Pequenos pedaços de ilusão
Em lagos perenes de Brasília
Flutuam veleiro e jet ski
A prioridade é a família
IR, IOF e IPI
 
Você tem que pagar, você tem que pagar imposto
Não dá para escapar, embutido em tudo há imposto
A UTI sem leito e a merenda escolar sem gosto
Projeto do prefeito e você tem que pagar imposto
 
Maletas, malotes e mesadas
Alíquota, cota, cotação
Pedágios, pedalinhos, pedaladas
A lebre, o lobo e o leão
 
Dinheiro não há para a segurança
Polícia roubando para comer
Jeton garantindo a pajelança
E o índio queimando até morrer
O imposto sustenta o estado
A contrapartida é para você
Se o barco há muito está furado
Afunda no jogo do poder
 
E você tem que pagar, você tem que pagar imposto
Você tem que pagar, pagar com o suor do rosto
E se ninguém nunca dá jeito neste nosso tamanho desgosto
Você tem que pagar, você tem que pagar imposto
 
Gugu Keller

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

domingo, 6 de agosto de 2017

O Quase

Tão ou mais libertários do que o gozo são os segundos que o antecedem, em que perdemos nossa tão vã ilusão de controle.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

terça-feira, 1 de agosto de 2017

segunda-feira, 31 de julho de 2017

domingo, 30 de julho de 2017

Playground

Indiferença e desespero em mim brincam de gangorra, e pulam, e copulam, até que, pelos vidros dos meus olhos, nela o dele quente escorra.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 28 de julho de 2017

quarta-feira, 26 de julho de 2017

terça-feira, 25 de julho de 2017

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Desintegração

Eu sou um intruso dentro do meu corpo
Sou o sempre nunca deste tempo todo
E simultaneamente o solitário e o outro

Gugu Keller

domingo, 23 de julho de 2017

sábado, 22 de julho de 2017

sexta-feira, 21 de julho de 2017

quarta-feira, 19 de julho de 2017

terça-feira, 18 de julho de 2017

segunda-feira, 17 de julho de 2017

domingo, 16 de julho de 2017

sábado, 15 de julho de 2017

Vestíbulo

Em prelúdio perscrutam-se purgos e em prumo pontudo o prepúcio e peludo o prenúncio.

Gugu Keller

sexta-feira, 14 de julho de 2017

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Wank

Num desengasgo-desmascaro aparte, meu gêiser grato deste gás gostar-te eis gozo grosso a grasso agrar-te e amar-te, agraciado eu por lograr-te engate.
 
Gugu Keller

terça-feira, 11 de julho de 2017

segunda-feira, 10 de julho de 2017

domingo, 9 de julho de 2017

sábado, 8 de julho de 2017

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Crise? Que crise?

Adoro quando alguma autoridade é entrevistada acerca da nossa situação política e, como é muito comum, responde que "o importante é que as instituições estão funcionando, a democracia está se fortalecendo e o país está recuperando a sua credibilidade"...!
 
Gugu Keller

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Desmoralizado

Por mais que seus advogados e aliados tentem de um modo quase que patético desqualificar ou minimizar as gravações que envolvem o presidente da república, há uma expressão bastante antiga que, diante delas, creio, com perfeição sintetiza a sua situação perante o país: "batom na cueca"!
 
Gugu Keller  

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Recalques

Em retrocírculos de psicotrilhas, nossas de autovítimas pseudovidas.

Gugu Keller

domingo, 2 de julho de 2017

Retromentes (Adendo)

Certos religiosos em nome de deus condenam a prática da homossexualidade, propondo, e garantindo que ela há, a "cura gay". Podemos então concluir que, se oferecem a "cura", consideram o comportamento uma doença, correto? E aí fica a pergunta... Como podem em nome de deus condenar quem quer que seja por uma prática decorrente de algo que, segundo eles próprios, é uma doença?
 
Gugu Keller

sábado, 1 de julho de 2017

In Drama

Às vezes não me sinto suficientemente vivo para manter-me acordado, mas tampouco morto o bastante para ser afinal enterrado.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Gravações

Quando o que tanto a tantos priva se qual prece em prévia aprova, já o parece não provar nenhuma prova.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Retromentes

Ouvi recentemente sair das bocas de umas três ou quatro dessas tristes figuras públicas que pela mídia circulam a catapultar asneiras não raro fascistas e preconceituosas o de claro cunho homofóbico comentário segundo o qual o sexo anal seria algo reprovável na medida em que "órgão excretor não é órgão reprodutor". Pois bem. Mesmo deixando de lado a deprimente incivilidade nisto contido, fico abismado com a burrice da coisa. Ora! Então o pênis e a vagina, que são inequivocamente parte do aparelho reprodutor humano, "órgãos reprodutores", portanto, em se tomando o espírito da coisa, não são também órgãos excretores??? Mas eu nem devia me espantar... O preconceito normalmente se faz acompanhar da falta de inteligência, bem sabemos... De todo modo, já que o tema é o tabu do sexo anal atrelado ao da homossexualidade, com perdão do leitor por me estender demais, é muito curioso como as pessoas imediata e equivocadamente associam uma coisa à outra, uma vez que, se pararmos para pensar, há muito mais casais heterossexuais do que homossexuais masculinos que praticam sexo anal. Parece estranho? Pois a mim não. Digamos que cerca de 30% ou 40% dos casais heterossexuais o façam ao menos eventualmente, o que nem de longe parece nenhum exagero... Creio que com facilidade esse universo supera numericamente os casais gays do sexo masculino, não? Ou seja, mesmo que não em quantidade de vezes, dá tranquilamente para se dizer que há mais heterossexuais do que homossexuais adeptos da prática! Lindo, não? Aliás, o preconceito é tanto e tão estúpido que seus entusiastas até se esquecem de considerar que, segundo consta ao menos desde que me dou por gente, o sexo anal sempre foi o grande fetiche do homem brasileiro, do tão valorizado macho brasileiro! E então? Será que nessa situação também releva o fato de, para quem assim parece, "órgão excretor não ser órgão reprodutor"? Estranhamente parece que não, não é? Aliás, de novo aliás, e novamente com o perdão pela prolixidade, que tremenda besteira que é alguém, sem considerar as tão complexas questões referentes ao prazer, imaginar que o sexo só pode fazer sentido quando tem por fim a reprodução, não é mesmo? Chega a ser deprimente conceber que alguém possa pensar assim... Ah! E ainda há os não poucos que alegam que "o ânus não foi feito para isso!". Bem... Creio que, por exemplo, os peitos de uma mulher, segundo essa linha de raciocínio, tampouco foram feitos para serem chupados por seu parceiro durante um a relação, não é mesmo? Mas isso todo mundo acha normal!!! Não é novamente estranho? Como é triste que, em tempos tão auspiciosos em termos de avanço do conhecimento humano em todas as áreas, ainda possa haver tantas mentes tão retrógradas...! E - putz! - como elas há! Tenho muita pena, muita pena mesmo, porque não deve ser nada fácil, de quem sofre qualquer tipo de preconceito em virtude de seu comportamento sexual, mas, sem sombra de dúvida, muito, muito mais de quem o exala.  

Gugu Keller

quarta-feira, 28 de junho de 2017

terça-feira, 27 de junho de 2017

segunda-feira, 26 de junho de 2017

domingo, 25 de junho de 2017

Desdestino

Não raro me sinto o que poderia ter sido descontado do que não deu certo.

Gugu Keller

sexta-feira, 23 de junho de 2017

quinta-feira, 22 de junho de 2017

quarta-feira, 21 de junho de 2017

terça-feira, 20 de junho de 2017

"Pais da Kiss"

Os tão surreais quanto kafkianos processos a que esses pais de vítimas da Boate Kiss estão respondendo explicam-se pelo fato de que, num país como o nosso, onde a mentira é tão oficialmente institucionalizada, a verdade não costuma ser coisa que se diga impunemente.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 19 de junho de 2017

domingo, 18 de junho de 2017

Sugestões Futebolísticas

Nós, que somos um pouquinho mais velhos, bem sabemos o quanto o futebol melhorou com duas mudanças tão simples nas suas regras, que foram não mais estar em impedimento o atacante que se situa na mesma linha do penúltimo defensor e, principalmente, o goleiro não mais poder pegar com a mão uma bola deliberadamente atrasada por seu companheiro, a menos que com a cabeça ou o peito. Pois bem. Na transmissão do jogo do campeonato brasileiro desta tarde, o ex-árbitro que o comentava relatou estar sendo estudada uma nova proposta de alteração em que sempre pensei, que é, como no basquete, travar-se o cronômetro toda vez que o jogo pára, seja com a marcação de uma falta, seja com a bola fora, com a marcação de um gol etc. Cronometrar-se-ia, assim, apenas o tempo em que efetivamente a bola "rola". Teríamos, então, ao invés de dois tempos de 45 minutos corridos, dois de 30 minutos de jogo efetivamente jogado. Tal expediente tão simples acabaria de vez com qualquer tipo de "cera" por parte dos jogadores, expediente tão desagradável para quem assiste, que por óbvio perderia qualquer sentido. Seria um grande avanço, até porque, cá entre nós, todos estamos cansados de saber que os acréscimos que os árbitros dão nos finais de cada tempo estão sempre muito longe de repor o tempo que a equipe em vantagem propositalmente faz com que se perca. E eu, mesmo incrédulo quanto a viver para ver isso acontecer, dada a notória tendência a um conservadorismo a beirar o retrógrado que costuma caracterizar as entidades competentes, acrescentaria uma outra sugestão, também inspirada no basquete, que seria o limite de faltas individuais e coletivas. Assim, sem prejuízo da aplicação dos cartões amarelo e vermelho, cada atleta só poderia cometer, digamos, duas faltas por partida. Na terceira estaria eliminado, só podendo ser substituído se seu time ainda tiver alterações para fazer. Se não tiver, fica com um a menos. E, quanto às faltas coletivas, uma equipe teria o limite de, por exemplo, quinze por jogo, ou sete, talvez oito, em cada tempo, a partir do quê toda falta, em qualquer parte do campo, seria pênalti a favor do adversário. Ficaria ou não muito mais interessante?
 
Gugu Keller

quinta-feira, 15 de junho de 2017

quarta-feira, 14 de junho de 2017

terça-feira, 13 de junho de 2017

domingo, 11 de junho de 2017

sábado, 10 de junho de 2017

Escrever

Assustador que é o poder tudo, da folha em branco diante eis-me mudo.

Gugu Keller

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Américo Pisca-Pisca

Então, antes de se iniciar o tão esperado julgamento, o presidente do tse afirmou com todas as letras que ele seria estritamente jurídico, e não político. Já quando a proferir seu voto de Minerva, reconheceu a gravidade dos fatos mas afirmou que uma eventual condenação da chapa Dilma-Temer não seria "o que se quer", na medida em que levaria o país à instabilidade. Complicado, não?
 
Gugu Keller

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Crises Institucionais

Quanto mais tudo é aparência, mais odeia o que o revela quem vive de a manter.

Gugu Keller

terça-feira, 6 de junho de 2017

Intolerância

Toda convicção política que aos seus discordantes se dirige ou refere com ódio ou desdém é uma forma de fascismo.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 5 de junho de 2017

domingo, 4 de junho de 2017

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Fugas Fugazes

De que ele não dura tão bem se saber paira pária a tortura sobre o prazer.

Gugu Keller

quinta-feira, 1 de junho de 2017

A Trilha

Conforme ou não pra mim eu minto e me embaralho no que sinto, faz-se o ir atalho ou labirinto.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fatos

A transição é permanente
A pulsão, transitória
A solidão, inerente
A comunhão, ilusória

Gugu Keller

terça-feira, 30 de maio de 2017

Cracolândia

Constrange-nos estar cara a cara com uma de nós conseqüência tão clara.

Gugu Keller

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Mentirocracia

Da sem falta fala falsa à aos fãs fausta falácia, aflora afora, é foda, à força a farsa.

Gugu Keller

sábado, 27 de maio de 2017

sexta-feira, 26 de maio de 2017

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Poética & Política

Por mais que teime, e seus sem termo ou treno textos treine, Temer, ternos tantos, enfim treme. E, com seu de torpe estirpe ativo time, o tal que todo às turvas trevas tende ao crime, e há tempos tênue trai e mal traz sem que se intime, já que lhe tomem teto e totem tíbio teme. E já truão no trem então em troça extrema, decerto truques troco em truco agora trama. E já que não se o algeme geme em drama.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 24 de maio de 2017

terça-feira, 23 de maio de 2017

U R

O que você nem tenta porque crê que não consegue provavelmente só não consegue porque, crendo-o, nem tenta.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 22 de maio de 2017

domingo, 21 de maio de 2017

sábado, 20 de maio de 2017

Noturno

Entre corpos e copos, e acasos e casos, em cacos escavo-me escravo e escoro-me escracho.

Gugu Keller

sexta-feira, 19 de maio de 2017

quinta-feira, 18 de maio de 2017

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Noticiário

O estupefarmo-nos com a confirmação de um horrendo que já nos era óbvio atesta o quanto ainda optamos por mantermo-nos em fantasias.
 
Gugu Keller

terça-feira, 16 de maio de 2017

Rockabilly Pop Deus - Letra

Queridos amigos...

Conforme escrevi aqui há dois dias, postei um vídeo com uma de minhas canções, "Rockabilly Pop Deus", na minha página no facebook e, tendo já sido muitas as visualizações, venho agora aqui dizer que estou imensamente grato a quem acessou e tem ajudado a divulgar. Apesar de a letra já ter sido postada neste blog (26-08-09), algumas pessoas pediram para que eu a postasse novamente. É que alguns dos nossos amigos, creio que todos compreendemos bem isso, não tendo o hábito de navegar no mundo dos blogs, às vezes não têm muita prática ou mesmo paciência na utilização do "buscador". Então, como não me custa nada postá-la de novo, repisando a minha enorme gratidão, abaixo aí vai... 
 
ROCKABILLY POP DEUS
 
Eu andava duro, quebrado, falido
Com dívidas, coisa e tal
Quando me bateu na cabeça uma idéia
Simples mas sensacional
Estou tentando abrir uma igreja de crente
Igual a gente vê na tv
É só pegar na bíblia e falar eloqüente
Que a grana já começa a chover
 
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Me ensina a fazer uma oração com amor
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Eu quero ficar rico e glória dar ao senhor
 
Terno e gravata ajudam na pose
E num mês dá para tirar um milhão
Diz que negócio tão bom quanto este
Só tráfico e prostituição
 
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Dízimo em dia no carnê do louvor
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Terrenos no céu ou seja lá o que for
 
Na minha mão o diabo está morto
Qualquer oferta e é logo "xô, satanás"
Em nome do senhor Jesus eu ordeno
Deixa esse corpo em paz
 
É hora de fazer uma corrente de fé
Para a concorrência ficar logo no chão
Umbanda, espiritismo, astrologia e axé
A gente diz que é tudo coisa do cão
 
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Eu quero picareta me tornar sem pudor
Me ensina, pastor, me ensina, pastor
Com carro importado e conta no exterior
Boa noite, caro amigo telespectador
Agora eu também sou pastor
Traga aqui para deus o que tiver de valor
Pois Jesus Cristo é o senhor
 
Gugu Keller

segunda-feira, 15 de maio de 2017

domingo, 14 de maio de 2017

Rockabilly Pop Deus - Vídeo

Queridos amigos... Ontem fiz um vídeo que postei no facebook no qual, acompanhado do meu violão, canto a minha canção "Rockabilly Pop Deus". Convido todos, e desde já fico grato, a darem uma olhada (ouvida) e deixarem suas impressões. Bjs!
 
Gugu Keller

sábado, 13 de maio de 2017

sexta-feira, 12 de maio de 2017

quinta-feira, 11 de maio de 2017

52

Hoje mais um ano se completou do meu pequeno ciclo nesta terra, no qual, tanto quanto me é possível, tenho tentado cumprir esta minha humilde missão, que é escrever o quanto sinto, penso e invento. Agradeço a todos os amigos que estiveram comigo nesta data, bem como aos tantos que telefonaram, mandaram e-mails e mensagens no facebook! Obrigadíssimo! Amo vcs todos!
 
Gugu Keller

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Writing Chemistry

Em densas não doses do dom de a domar, ao doer é a dor quem me doa o que dar.

Gugu Keller

terça-feira, 9 de maio de 2017

segunda-feira, 8 de maio de 2017

domingo, 7 de maio de 2017

Evolução?

Da dos tempos das cavernas lei do mais forte dizemos o caos. Já a do mais rico destas eras modernas achamos normal.
 
Gugu Keller

sábado, 6 de maio de 2017

B.N.W.

A prisão mais enclausurante é a dos que ingênuos nos cremos livres.

Gugu Keller

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Labman

Cada vez mais sofisticado com o decorrer da vida, minha mente e meu corpo constituem um complexo e gigantesco laboratório onde, tanto quanto possível até o seu âmago, são experenciados todos os tipos de dores, prazeres, sentimentos e emoções. Em alguns versos e outros meus literários desabafos, as pífias conclusões.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 3 de maio de 2017

terça-feira, 2 de maio de 2017

Lobisomem

Eu sou um oligo-esquizofrênico testículo-tentaculoso filantro-misantropo.

Gugu Keller

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Maio

Ao que o patrão a escravidão travestiu tão de ganha pão, com por migalhas gratidão à abolição já se diz não.
 
Gugu Keller

sábado, 29 de abril de 2017

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Gente

Eu sou carente, querente e ardentemente urgente, mas, comigo sempre incoerente, também ausente, dependente, descrente e descontente. Decerto, assim, somente, soa quente e transparente, demente mais um quase inexistente ante este ente intermitente tão gigante quão doente.

Gugu Keller

quinta-feira, 27 de abril de 2017

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Fachada

E eis-me, farsa confessa, frontispício extrafresta neste hospício às avessas.

Gugu Keller

terça-feira, 25 de abril de 2017

segunda-feira, 24 de abril de 2017

domingo, 23 de abril de 2017

Tarja Preta

Às vezes é tão cansativa essa brincadeira de todo dia fingirmos ser normais...!

Gugu Keller

sábado, 22 de abril de 2017

sexta-feira, 21 de abril de 2017

quinta-feira, 20 de abril de 2017

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Amores

Os impossíveis são os mais densos. Os proibidos, os mais tensos. E os os dois, totais pois, ao mais intenso por tempo imenso os mais propensos. 
 
Gugu Keller

terça-feira, 18 de abril de 2017

segunda-feira, 17 de abril de 2017

domingo, 16 de abril de 2017

sábado, 15 de abril de 2017

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Brasil a Limpo

Que enfim ao fim todo esse bonde do desbunde, infinda foda que confunde ao que se infunde, ao fundo afunde e nos inunde de seus nus.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 13 de abril de 2017

quarta-feira, 12 de abril de 2017

terça-feira, 11 de abril de 2017

Liberal

Ao que a vela viola a viela, bi ela ali bela, dela se mela liberta a libélula.

Gugu Keller

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Picadeiro

E eis-nos, em insípitos cíclicos círculos, submissos suicidas subsímios neste circo.

Gugu Keller

domingo, 9 de abril de 2017

sábado, 8 de abril de 2017

Mainstream

A buscarmo-nos no escuro onde, sabemos, nos perdemos, preferimos a que esconde luz em termos em que vemos.
 
Gugu Keller

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Temporais

Num que empedra em perdas prévias esperar sem esperança, a vida avidamente a um vil em vão veloz avança.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 6 de abril de 2017

"Pra Lá e Pra Cá" no Teatro Jardim Sul

Amanhã, sexta-feira, 07/04, a minha peça "Pra Lá e Pra Cá" (o título original é "A Dívida") estréia no Teatro Jardim Sul, aqui em São Paulo. No elenco, Du Kammargo, Adriano Arbol, Glaura Lacerda, Luciano Rocha & Marina Possebon. A direção é de Mário Goes. Convidamos todos a vir nos prestigiar.
 
Gugu Keller

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Brasilidades

Entre nós é freqüente que balas perdidas em carne inocente encontrem guarida.

Gugu Keller

terça-feira, 4 de abril de 2017

Minhas Músicas - "Oração de um Ateu"

ORAÇÃO DE UM ATEU

Dê-me, deus, a lucidez da total desesperança
Dê-me a triste doce vingança de ter ao tempo para matar
Dê-me, cristo, voto e visto para um gradativo suicídio
Dê-me vício, vaga no hospício e o precipício azul do mar
Dê-me, pai, o teu aval, dê-me o tal, ó pai, teu filho
Dê-me exílio, dê-me um gatilho, o vinho, a cruz, o cravo e o pão
Dê-me o nome do meu erro, dê-me gelo e outra dose
Dê, que adoce-me o desespero, a pá, o enterro e, pai, perdão

A vida vem viva do vão da vagina
E vai-se vencida do tempo vilão
A vida é o esperma que invade a barriga
E aderna em fadiga à vala no chão

Dê-me, mãe, a tua mão, dê, mulher, a mim teu mundo
Dê-me o fruto, a fenda e o fundo, dê-me o peito, ó mãe, o grão
A semente do teu ventre dê-me quente, o sangue à lida
Dê-me a cor da flor ferida, dê-me, amiga, o teu botão
Piedade tende, pai, a um ateu à tôa um troco
Este cálice afastai de um devoto a são ninguém
Traz trindade a quem te trai, faz do nada em mim um pouco
Faz-me um corpo que aqui cai, faz-me pó, meu pai, amém

Gugu Keller

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Procrastinação

Sempre que deixo para amanhã, condeno o hoje a ser um ontem de que me arrependerei.

Gugu Keller

domingo, 2 de abril de 2017

sábado, 1 de abril de 2017

Homens-Espelho

Quem o é de si próprio, a todos como amigos tem. Quem não, do mesmo modo, ninguém.

Gugu Keller

sexta-feira, 31 de março de 2017

quinta-feira, 30 de março de 2017

quarta-feira, 29 de março de 2017

Ordem e Progresso

Nessa hipócrita ótica psicomórbida, nossa patética ética pseudoestética.

Gugu Keller

terça-feira, 28 de março de 2017

Estado, Igrejas, Empresas Etc

Sabemos tanto e tão bem o quanto somos enganados, que a verdade é que a rigor já nem o somos.

Gugu Keller

segunda-feira, 27 de março de 2017

domingo, 26 de março de 2017

Os Três Poderes

Todos temos, tendo a crer, os três poderes da república em nosso íntimo... Um legislativo com que impomo-nos regras em regra inexeqüíveis, um executivo com que, justamente por sua inexeqüibilidade, não as cumprimos e, por fim, um judiciário através do qual, conseqüentemente, condenamo-nos impetuosos a uma extrema culpa.
 
Gugu Keller

sábado, 25 de março de 2017

sexta-feira, 24 de março de 2017

quinta-feira, 23 de março de 2017

Catarse

Escrevo meio como quem pulsa
Escrevo meio como quem posa
Como quem sangra, sua e purga
Como quem uiva, urra e goza

Gugu Keller

terça-feira, 21 de março de 2017

Mysterious Ways 2

A ironia é ser a estrada tão à sorte quando a chegada bem se sabe sempre a morte.

Gugu Keller

segunda-feira, 20 de março de 2017

Putatividade

No por que mais sofremos, se bem olharmos, vemos, nem há sentido ao menos.

Gugu Keller

domingo, 19 de março de 2017

Operação Carne Fraca

É estranho como em águas tão geladas causa tanto espanto uma ponta de iceberg.

Gugu Keller

sexta-feira, 17 de março de 2017

Chave no Bolso

Em cada um a um só tempo numa vida cativeiro, coexistem prisioneiro e carcereiro.

Gugu Keller

quarta-feira, 15 de março de 2017

Postumamente

No escrever se a um só tempo cala e fala. E eis que, ainda após a bala, o sem som o diz e abala.

Gugu Keller

terça-feira, 14 de março de 2017

Falácias

Dentre todos os dogmas, valores, ideais e instituições em que somos desde sempre compelidos a acreditar, o amor mantém-se como o único que talvez não seja uma grande mentira.
 
Gugu Keller

segunda-feira, 13 de março de 2017

She Writes

Tomara tu soubesses, poetisa, / o quanto um pranto tanto em mim repisa / ao que à brisa canto encanto das tuas rimas / expressas preces primas poetizas.
 
Gugu Keller

domingo, 12 de março de 2017

Dieta Veneno

E eis-nos neojumentos masoquistas fagiabusivos num lento e suculento gradativo suicídio.

Gugu Keller

sábado, 11 de março de 2017

quinta-feira, 9 de março de 2017

Significado de "Crime"

Quando cometido por excluídos...
 
Comportamento Reativo à Indecente Mercantilização da Educação
 
Quando "do colarinho branco"...
 
Conduta Repugnante Inviabilizadora do Minimamente Equânime
 
Gugu Keller

quarta-feira, 8 de março de 2017

Quarto de Hotel

Deitado na cama, vejo-a vir do banheiro de calcinha e sutiã... Ela me sorri aquele sorriso tão lindo, que tanto me toca, aquele sorriso que ela mostra apenas com a face, sem chegar a abrir a boca, sem mostrar o brilho dos dentes, um sorriso intrínseco, insinuado, insinuante, monalisicamente só dos seus olhos, e, cheia de doçura, de paz, de poesia, de uma presença leve que só ela tem, leva as suas mãos às costas e abre o fecho do sutiã. Lentamente, como que num ritmo a me hipnotizar, tira-o então, mostrando-me, junto com o incessante e cada vez mais doce sorriso em seu rosto, o claro da pele morna de seus peitos, o róseo suave dos seus mamilos. Pontas perfeitas. Protuberâncias poéticas da perfeição. A seguir, curvando o tronco um pouco para a frente, mas sem perder aquela cadência silenciosa que me envolve, sem parar a dança em que parada rumo ao ápice evolui, tira, ainda e sempre me apontando os olhos sorridentes quase sóis, livra-se enfim da peça mais íntima. Uma perna, outra e está feito. É, pronto. Pendura-os ambos num gancho na parede e novamente sou cúmplice da sua intimidade. Novamente sou o escolhido, o homem mais rico do mundo. O dono, o rei, o mais feliz. Um menino diante do mar. Sístole, diástole, síncope e luz. Prece, plenitude, pele, poros, paladar. É. Eis, diante de mim, o total.
Se nos amamos naquela noite? Já nem sei... Foi tão lindo vê-la ali despindo-se para mim... Quem dera aquela cena ficasse se repetindo... Segundos eternos... Quem dera se passassem, depois recuassem e voltassem a cabo... Quem dera para sempre... Acho que chorei... Ela até me perguntou, a cabeça encostada ao meu ombro, o porquê... Não soube lhe dizer... A beleza daquilo foi tanta, tanta, tanta, tão além, aliás, destas pobres e débeis palavras, que restou-me, com mais intensidade do que em qualquer outro momento, chegar ao clímax... Ao clímax do clímax do clímax do clímax! É! Sim! Eu, ateu, diante dela ali cheguei a deus! Um clímax diferente, maior, em que lágrimas foram só o que de mim verteu...! Como ela é linda, como ela é linda, como ela é linda...!
 
Gugu Keller

terça-feira, 7 de março de 2017

segunda-feira, 6 de março de 2017

Fake

Mais e mais pela aprovação alheia o por si mesmo reprovado sempre anseia.

Gugu Keller

domingo, 5 de março de 2017

Inconscient Fights

Mesmo autoimposta em sombriedade, só outra contraposta com a mesma intensidade vence uma vontade de verdade.
 
Gugu Keller

sábado, 4 de março de 2017

Diálogo Erudito

- Querida, estou com uma P.V.C. que está me deixando louco! Será que você pode me ajudar a aplacá-la?
- P.V.C., querido? O que vem a ser isso?
- Paudurecência Vaginofágica Compulsiva! Você sabe que isso às vezes acontece, né?
- Sim, claro! Mas hoje infelizmente não vou poder te ajudar... Estou com uma bela de uma F.B.F.!
- F.B.F.? Então agora quem pergunta sou eu... O que vem a ser?
- Fungobocetite Bacalhofétida Fodoinibitiva!
- Hum, entendi. Mas tudo bem, amiga... Nós poderíamos alternativamente fazer uma S.C.E....
- S.C.E.?
- Sim! Sodomizância Cuadentrativa Enrabofálica!
- Desculpe, mas para mim aí não rola...
- Por que não, querida?
- É que tenho B.A.R.! E pretendo mantê-la!
- B.A.R.?
- É! Bundovirgindade Anupoupante Retroespermofóbica!
- Tá certo... E que tal então apenas uma M.E.S.?
- M.E.S.? Você quer dizer uma Mucoboqueteada Envolvoglândica Salivolicorina?
- Isso! Exatamente! Que tal?
- Infelizmente também não vai dar...
- Ah... Por que?
- Estou com H.L.S.!
- H.L.S.?
- Herpoaftorachadura Translabial Sapinhocáustica!
- Hum... Tá certo... Bom, se é assim, eu desisto, né? Fazer o quê...?
- Posso dar uma sugestão, querido?
- Claro!
- Por que não uma boa de uma P.A.A.?
- Uma P.A.A.?
- É, você sabe... Uma Punhetobatência Acalmopíntica Autoejaculante...!
- É... Acho que vai ser o jeito... Você tá assim, toda zoada...
- Outro dia eu estava com V.P.C. e, justamente por causa da F.B.F., acabei fazendo exatamente isso...
- Hum... O que é mesmo V.P.C.?
- Vulvomolhança Penifágica Crítica!
- Ah, tá! Mas como você fez um P.A.A.? P.A.A. é coisa de homem, pô!
- Ué... Vocês fazem P.A.A. e nós fazemos X.S.N.!
- X.S.N.?
- Claro! Xanodedilhamento Nervoclitoriativo Siriricogózico!
- Hum... É mesmo, né?
- É! Às vezes é o jeito...
- Tá certo... Bom... A gente se vê então...
- Beijos, meu garoto!

Gugu Keller

sexta-feira, 3 de março de 2017

Metrópole

E, em meu peito desolado, com pedaços do passado, eis que ergue-se iceberg a cidade da saudade, capital cárdio-central do meu estado.
 
Gugu Keller

quinta-feira, 2 de março de 2017

Par

Eu quero as tuas duas nuas luas com que em meus sonhos suas toda céus teu leite e mel.

Gugu Keller

quarta-feira, 1 de março de 2017

Perto Dela

Neste tão ávido hábito de orbitar-te, meu antióbito ópio habita a arte.

Gugu Keller

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Espumante

Meu amor para o mundo de branco brinda
Ao que no dela fundo da fenda finda

Gugu Keller

domingo, 26 de fevereiro de 2017

sábado, 25 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O Melhor do Sexo

O melhor do sexo é deixar que ele nunca seja uma certeza. Mesmo na iminência de uma situação íntima que o faça altamente provável, que não, nem aí, seja algo certo. Que certos sejam apenas a proximidade, o carinho, o toque, o contato, o abraço, e que o sexo, afinal por iniciativa ou imposição dele próprio, desse algo nele tão maior do que nós, simplesmente então aconteça. Sim. Mesmo que grande, que ele seja sempre só uma possibilidade que espreita, e que por si só afinal eclode em mas a despeito de nós. E que então deixemos que venha, evolua e nos envolva. Não o façamos, sejamos dele instrumentos. E que ele nos guie, e nos leve, e nos puxe através dos instintos como que por nossas mãos. E que enfim faça de nós o que quiser. E nos cuide e nos tome conta. Inebrie-nos e nos leve por mundos e céus. E ao fundo. Ao fundo do fundo de nós. Ao fundo do fundo do fundo "do" nós. Sim. Fundo. E, no de nós mais profundo, então o divino do a dois. Nunca a busca, mas a entrega. Nunca o truque, mas a troca. Nunca a luta, só rendição. Que ele a nós nos encontre. Que verta, que vingue e que vença. Sempre. E, sim, que nos encontre. Próximos, íntegros, juntos. Não à espera mas prontos. Não à procura mas alvos. Já não dois "eus" mas "